Pular para o conteúdo principal

É livro ou brinquedo?



Link Original: http://revistaescola.abril.com.br/creche-pre-escola/livro-ou-brinquedo-690612.shtml?page=0


Nos momentos dedicados à leitura, tanto em sala quanto na biblioteca da Educação Infantil do Centro Educacional Anísio Teixeira (Ceat), no Rio de Janeiro, as crianças têm acesso a vários livros: com muito ou pouco texto, somente ilustrados, literários e informativos, entre outros. O trabalho com o material é levado a sério pelos educadores. "O contato com as estantes e a chance de escolher um entre diversos títulos e folheá-los faz parte do desenvolvimento do comportamento leitor dos pequenos", diz Elisa Creuza de Jesus, educadora da creche.

No acervo, também estão disponíveis livros-brinquedos: do tipo pop-up (com imagens em dobradura que saltam das páginas), com texturas, sons e abas que, quando abertas, revelam novidades. Embora muita gente ainda tenha dúvidas sobre esse suporte e torça o nariz para os recursos que dividem espaço com ilustrações e textos, a equipe do Ceat aposta nele. Assim como as edições tradicionais, eles também são livros - e proporcionam interações diferentes.

O bom livro-brinquedo contribui para que o leitor viva uma experiência literária sem deixar de ser uma diversão relacionada ao brincar, que também é uma forma de interagir com o mundo. E vale registrar que a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) reconhece a categoria como legítima a ponto de, desde 1997, destinar um espaço para essas publicações no Prêmio FNLIJ, concedido anualmente.

É claro que para ser considerado livro o material precisa reunir algumas características básicas e ser usado como tal. Por exemplo: as informações precisam estar dispostas em páginas de forma que o leitor possa folheá-las, observar seu conteúdo e seguir a narrativa.

Recursos devem ajudar a contar a história

Nem tudo o que está disponível no mercado é interessante e tem qualidade. Trabalhar com afinco na escolha do que fará parte do rol de leitura da turma requer analisar os títulos um a um. É sua responsabilidade escolher bons materiais, elaborados com cuidado estético e com textos bem escritos (confira na próxima página algumas sugestões).

Além disso, é preciso avaliar se os mecanismos disponíveis ajudam a construir o enredo. Uma das características mais importantes da literatura é o mistério, a fantasia, o não dito -, o que o leitor está por descobrir. "Os artifícios do livro devem contribuir para isso. Se o texto, as imagens e outros recursos deixam tudo explícito, perde-se a graça", explica Ninfa Parreiras, mestre em Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do Letra Falante, grupo de leitura e de pesquisa de literatura infantil e juvenil, em São Paulo.

Há livros-brinquedos que se aproximam mais de brinquedos devido ao formato e aos artifícios disponíveis, deixando a história em segundo plano. Isso pode parecer interessante para estimular os sentidos e entreter as crianças, mas não as aproxima da leitura.

No mais, o formato precisa ser levado em conta. "Exemplares muito grandes ou pesados demais dificultam a manipulação pela criançada", conta Ninfa. Porém, mesmo que intervenções do tipo pop-up pareçam delicadas para mãozinhas desajeitadas, os pequenos não devem ser privados de mexer nelas - para evitar páginas rasgadas, por exemplo. Um dos objetivos do trabalho com o livro-brinquedo é justamente despertar a vontade de entrar em contato com ele.

Como leitor experiente, você deve servir de modelo: mostre a forma adequada de manuseio, virando as páginas e mexendo no papel com cuidado, enquanto explica em voz alta o que está fazendo. Ainda assim, danos vão ocorrer - às vezes será possível repará-los, outras não e tudo bem. Tenha consciência de que isso faz parte do processo de aproximação da turma com o universo da leitura.

"Para que possam manusear o livro, me aproximo de cada uma das crianças e pergunto se querem tocá-lo. Depois da leitura em roda, organizo momentos para que todas tenham a oportunidade de folhear e explorar os títulos sozinhas", fala Elisa, do Ceat. Assim, os pequenos têm oportunidade de fazer descobertas com tempo e autonomia e seguem construindo sua trajetória como leitores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Leve a emoção das Corridas para dentro da sua Escola!

O brasileiro tem uma grande paixão além do futebol: é o automobilismo. Desde pequenos, somos envolvidos com diversos eventos esportivos relacionados a carros e a velocidade. Fórmula 1, Fórmula Indy e Stock Car são algumas dessas categorias que tanto fascinam e divertem os brasileiros.
O automobilismo é um esporte que já está, culturalmente, enraizado em nossas gerações. Grandes ícones surgiram ao longo dos anos, como Airton Senna, uma lenda do automobilismo mundial. Mais recentemente, pilotos como Rubens Barrichello, Felipe Massa, Tony Kanaan e Hélio Castroneves se destacaram no cenário internacional, e se tornaram ídolos da maioria dos brasileiros.
Independente da cor, do credo, da idade ou da classe social, a maior parte das nossas crianças tem um grande encanto com carros e velocidade.
Destro deste tema, o Brinque-lonas tem uma excelente ferramenta pedagógica. Trata-se do jogo de corrida Autódromo. Esta atividade lúdica tem o formato de um autódromo, com casas numeradas de 1 a 100. Cada…

Quem nunca jogou Ludo na vida?

Poucas coisas na nossa vida são tão comuns quanto o Jogo de Ludo. O Ludo é um dos jogos mais populares que conhecemos. Pouquíssimos são os que não se divertiram na sua infância ou na sua fase adulta com este jogo que, apesar de simples, é muito divertido e educativo.
Algumas curiosidades sobre o Jogo de Ludo:
·Ludo é uma versão ocidental do jogo nacional da Índia, o Pachisi; ·Os pinos do jogo, originalmente, são chamados de Cavalos; ·A palavra Ludo significa “eu jogo”, originado do latim; ·Existem diversas variações do Ludo. Uma das mais conhecidas é o Ludo Real, que possui algumas casas Reais (representadas por uma Coroa) e as casas Vingança;
O Brinque-lonas possui duas versões do Jogo de Ludo, a versão GIGANTE, no tamanho de 0,90m x 0,90m e que vem numa embalagem com duas unidades, e a versão MEGA-GIGANTE, no tamanho de 3,10m x 3,10m que vem com acessórios como cones, coletes e dado gigante.

20 de Novembro - Dia da Consciência Negra - Baixe o poster para colorir!

Dia 20 de novembro é o dia da Consciência Negra.

Esta data foi definida pela lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que incluiu o dia 20 de novembro no calendário escolar, data em que comemoramos o Dia Nacional da Consciência Negra. A mesma lei também tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. 


Com a implementação dessa lei, o governo brasileiro espera colaborar para o resgate da contribuição dos povos negros nas áreas social, econômica e política ao longo da história do país.